Destaque

Depoimento RTS - Caroline Vendrame

Wladimir de Oyá - Conversa sobre "O Salto Quântico Genético"

- by Dhin Akari


Naturalmente não há um perfil específico de pessoas que procuram pelo SQG. Mas não se pode negar que pessoas espiritualizadas como médiuns espíritas, apometristas, assim como psicólogos, psiquiatras e afins dão uma significativa credibilidade à iniciação ao alegarem publicamente que passaram por ela e atestaram a sua veracidade.

Logo, o que dirá alguém que desde o inicio da vida, muito precocemente, já desenvolvera sua paranormalidade e se comunicava com entidades? E isso não basta. Este garoto cresceu e se tornou um dos maiores magistas (ou Sacerdote de Orixás, como ele prefere) do nosso continente e com toda a sua capacidade crítica e lucidez também assina em baixo do trabalho do nosso amigo Bruno Guerreiro de Moraes? Mais credibilidade ainda, não é mesmo?

O depoente desta vez é alguém que estudou a vida inteira sobre espiritualidade, tem muita lucidez no plano astral e várias outras qualidades desse campo que poderiam ser citadas. Como sacerdote têm vários clientes que ficam embasbacados com os resultados de suas magias para todas as áreas da vida.

Nesse paradigma de planeta-prisão, conspiração em vários níveis, cobrar por serviços espirituais... etc, etc... O que as entidades seculares tem a dizer sobre tudo isso? E o que falar sobre a onda espiritualista New Age e seus adeptos? Quais entidades são sensatas e quais são enganosas? Como não ser enganado por seres multidimensionais?

Perguntas e mais perguntas vão pipocando na cabeça de todos nós que estamos conhecendo agora essas novas possibilidades do Universo que nos foram furtadas. Mas ninguém aqui quer que você acredite piamente nas informações que veiculamos. Apenas que você considere na sua análise dos relatos que pessoas com credibilidade no meio espiritual, como é o caso do Wladimir, não estariam se expondo a falar de algo superficial ou duvidoso. 

Reflita e tire suas conclusões. 

A conversa com o Sacerdote Wladimir de Oyá foi muito fácil, muito fluída por causa da clareza de suas ideias que você mesmo vai poder conferir. Tanto é que eu não precisei colocar observações ao longo da conversa como de costume. O papo foi todo autoexplicativo.

Vou aguardar seus comentários!



Din Akari Kei diz:
Tudo bem Wladimir?

Wladimir de Oyá diz:
Tudo em paz.
OK. De frente com Gaby. (risos)

Din Akari Kei diz:
(risos)
De frente com o Din!
O que? Mas tu vai polemizar que nem o Malafaia? Não, né?

Wladimir de Oyá diz:
(risos)

Din Akari Kei diz:
Wladimir, pra começar eu queria te perguntar sobre a tua vivência como um cara espiritualizado desde cedo como eu sei que tu és. Pode falar da tua infância, família e tal?

Wladimir de Oyá diz:
Sim, claro.
Nasci numa família de médiuns onde meu pai já era sacerdote de orixás, fazia cirurgias espirituais etc. Embora houvesse cardeal, arcebispo, tudo na família, a mediunidade se manifestou e não teve como correr.

Din Akari Kei diz:
Pooh! Muito bom!

Wladimir de Oyá diz:
Meu pai e minhas tias começaram ainda crianças a demonstrar sinais de mediunidade. O que levou a família a buscar estudar os fenômenos que estavam acontecendo.

Din Akari Kei diz:
E com que idade tu começou a manifestar tua mediunidade?

Wladimir de Oyá diz:
Minha mãe morreu quando eu tinha três meses e o primeiro espírito a se comunicar comigo logo que comecei a crescer foi ela. Foi meu primeiro contato.
Nós conversávamos todos os dias até eu completar meus sete anos.

Din Akari Kei diz:
Nossa, que história incrível!

Wladimir de Oyá diz:
Mas durante este período, outros espíritos começaram a aparecer e nem todos do bem.
Na mediunidade há os dois lados e o lado trevoso aparece também, sem sombra de dúvida.

Din Akari Kei diz:
Com certeza.
E tua família como reagia ao te ver se comunicando com essas entidades todas?

Wladimir de Oyá diz:
Como meu pai e minhas tias já eram médiuns experientes, entendiam perfeitamente o que estava se passando comigo. Eu costumo brincar que peguei uma fase mais "light", pois eles sim passaram pelo pior, já que numa família católica, ninguém entendia nada quando as coisas começaram. Ainda mais com um cardeal na família, era sinal de possessão demoníaca. Dom Jaime Câmara era primo de meu avô.

Din Akari Kei diz:
Imagino. E legal essa "sorte" que tu teve de nascer numa família que já tinha essa visão das coisas. Não teve acaso aí né? (riso)

Wladimir de Oyá diz:
Claro que não. O acaso não existe. Escolhi a família certa para dar continuidade a meu trabalho já sendo realizado em outras vidas.

Din Akari Kei diz:
Uhummm.... aí sim!
Mas vou te perguntar sobre isso mais a frente.

Wladimir de Oyá diz:
OK.

Din Akari Kei diz:
Tu, assim como eu, é amigo próximo do Bruno, não é mesmo? Como tu tomou conhecimento dele e por que decidiu passar pelo Salto?
["próximo" virtualmente falando (risos)]

Wladimir de Oyá diz:
O Bruno já sabia de minha existência desde 2008, pois eu tinha site no ar.
Em 2012, não me pergunte como, pesquisando alguns assuntos, me vi na página dele. Liguei, mandei e-mail e conversamos.
Foi então que ele me disse que já havia me visto na Internet. Como não me canso de estudar, pesquisar e me aprofundar cada vez mais em assuntos do tipo, resolvi fazer O Salto. Foi tudo muito rápido. Eu "caí" na página dele e na outra semana já estava lá no seminário.

Din Akari Kei diz:
Entendi, e no que o Salto te ajudou? Viu alguma vida passada, tua origem?
Te ajudou na mediunidade que já tinhas?

Wladimir de Oyá diz:
Não digo na parte mediúnica, mas na parte energética. Me lembrei de ser reptiliano. (risos,risos...). Vi meu planeta morrendo devido o sol que estava perdendo sua "vida". E o frio era tão intenso que resolvemos (eu e os outros), mudar para outro planeta. No caso, a Terra. A vivência (no seminário) foi tão forte que tiveram que trazer coberta, pois meu corpo foi gelando de tal modo que eu tremia e batia o queixo sem parar de tanto frio.

Din Akari Kei diz:
O_O cruzesss

Wladimir de Oyá diz:
Vi a galáxia onde vivia, sua localização no espaço, sua coloração e depois o Bruno veio com todas as provas do que eu havia visto.

Din Akari Kei diz:
Sim, ele sempre faz isso.
Qual era a galáxia?

Wladimir de Oyá diz:
A galáxia do Triângulo.

Din Akari Kei diz:
Hohohoho
Conheço u_u
Mas a tua raça reptiliana é a mesma raça nefasta que sabota a humanidade?

Wladimir de Oyá diz:
E além do frio intenso, eu sentia nojo, pois me sentia realmente um lagartão.
Eu sentia desprezo pelos humanos. Os achava inferiores. Horríveis por possuírem pelos. Nojentos mesmo.
Mas notei que a intenção principal era sobrevivência pelo planeta estar morrendo. O sistema estar morrendo. Não vi como uma forma de vir dominar o homem.

Seria muito determinista dizer que todas as raças reptilianas do universo são nefastas e cheias de más intenções com relação à humanidade. O Universo é muito vasto, muito diversificado e as circunstâncias de cada raça e de cada alma são muito subjetivas. A raça reptiliana do Wladimir não é a mesma sabotadora associado ao Império do Dragão.

Din Akari Kei diz:
Sim, na verdade o que a gente sabe hoje é que existem várias raças reptilianas, várias felinas, várias gasosas... enfim, e isso não quer dizer que todas as raças reptilianas sejam trevosas como a que domina a Terra.
Quando foi tua primeira vida aqui, chegou a lembrar disso?

Wladimir de Oyá diz:
Foi há mais de quarenta mil anos.

Din Akari Kei diz:
Bah... louco, tchê!

Wladimir de Oyá diz:
Ele tem todos os dados anotados. Até porque depois tive outras lembranças e a experiência foi bem fascinante.

Din Akari Kei diz:
Entendi.

Wladimir de Oyá diz:
Me vi tendo que me adaptar a um corpo que no início tinha nojo pelos pelos, pela diferença muito grande do corpo de réptil que possuía antes.
E não aceitava o fato de estar encarnado numa raça que considerava inferior em tecnologia, conhecimentos gerais, tudo.

Din Akari Kei diz:
Sei...
Então Wlad, passaste a vida a te dedicar à tua espiritualidade assim como teus familiares, certo?

Wladimir de Oyá diz:
Sim. Me dedicar ao trabalho espiritualista e ambientalista são as coisas que mais amo fazer.

Din Akari Kei diz:
Que legal.

Wladimir de Oyá diz:
E depois pesquisando sobre minha ancestralidade, vi que meus antepassados já estavam ligados com magia, tudo isso. Tive inclusive ancestrais queimados na Inquisição.
Din Akari Kei diz:
Bah... É o que eu digo sempre, quem nunca morreu queimado não sabe o que é ser churrasco.

Wladimir de Oyá diz:
E ao mesmo tempo, outros faziam parte do alto clero.

Din Akari Kei diz:
Assim, tu está dentro de determinada linha espiritualista? Que seguimento é esse?

Wladimir de Oyá diz:
Me declaro 100% independente, sem seguir religião, doutrina ou qualquer coisa do tipo, embora tenha passado por tudo isso. Juntei o que achei ser útil e descartei o que senti ser inútil.
Mas não posso de certa forma, me separar totalmente de certas religiões. Não que eu siga religiosidade, mas espiritualidade. Como sacerdote de orixás, sacerdote Vodu, sempre estarei ligados com estas energias, mas de forma livre, sem regrinhas criadas pelo homem.

Din Akari Kei diz:
Essa é uma ótima dica!
Tu já passaste por outras iniciações, já viajou pelo mundo pra isso?

Wladimir de Oyá diz:
Sim, Egito, Nigéria, Índia, Tibete. Estes foram os principais lugares, onde realmente as iniciações foram uma total conexão com a espiritualidade.
Diferente de CULTO, aprendi a ver como CONEXÃO com as divindades, o que é totalmente diferente.

Din Akari Kei diz:
*_*
Demais, tomara que um dia eu chegue lá.
Bem, então eu posso dizer que tu és um Sacerdote de Orixás? Eu sempre fico procurando uma denominação para a tua profissão.
(risos)

Wladimir de Oyá diz:
Sou, sem dúvida. Mas busco a "coisa" na essência, sem as deturpações que as pessoas criaram em torno da realidade dos orixás demais deuses.

Din Akari Kei diz:
Tu trabalhas com várias entidades não é? Qual é a procedência dessas entidades e de que forma elas ajudam os teus clientes?

Wladimir de Oyá diz:
Embora minhas entidades usem nomes conhecidos nos meios religiosos, as mesmas não possuem ligação com religiões. É apenas uma forma de se apresentarem. São meus ancestrais que voltam através de mim para ajudar.
E trabalham para saúde, amor, retirada de espíritos obsessores, defesa astral, prosperidade. Ou seja, atuam em todos os campos da vida humana.

Din Akari Kei diz:
Legal. Eu sei também que tu recebes muitos depoimentos de agradecimento pelas mudanças que teus clientes têm em todos esses campos da vida. Isso prova também que teu trabalho é muito eficiente. Já conversei com gente que é cliente tua.
Não podes dividir algum depoimento desses com a gente? (risos)

Wladimir de Oyá diz:
Eu fico sempre muito feliz quando as pessoas me contam dos resultados que estão obtendo. Principalmente quando há casos de saúde, por exemplo, onde a medicina desengana totalmente uma pessoa. Já fiz vários trabalhos para mulheres consideradas estéreis e que sonhavam e ser mães. Hoje, a maioria possui mais de um filho, inclusive gêmeos. E isso não tem preço, É gratificante demais.

Din Akari Kei diz:
Óóóiiinn

Wladimir de Oyá diz:
Saber que eu sirvo de canal para que as divindades e entidades atuem desta maneira é motivo de muito orgulho. Não aquele orgulho besta, negativo. Mas aquele que nos preenche de alegria.

Din Akari Kei diz:
Sei.
Sentimento de gratidão mesmo.

Wladimir de Oyá diz:
Eu sei que muitas pessoas me consideram orgulhoso, metido, besta, louco, pelo meu jeito espontâneo, brincalhão de ser. Mas quando me conhecem, todas dizem a mesma coisa. (risos)... Que quebraram a cara.

Din Akari Kei diz:
(risos)
Acho que todo mundo que é espontâneo tende a ser julgado dessa forma.

Wladimir de Oyá diz:
Pois quem me conhece mesmo, sabe o quanto eu sou simples, compreensivo, atencioso e por mais porra louca que pareça, na hora do meu trabalho eu sou extremamente sério.

Din Akari Kei diz:
Com certeza.
Mas como eu digo sempre, as pessoas precisam vencer esse julgamento inicial e ir em frente pra ver a pessoa em si, livre desses juizos de valor sobre o jeito-de-ser de cada um. Quem fica no razo acaba perdendo de conhecer as pessoas melhor.

Wladimir de Oyá diz:
Quando eu digo que sou sério, não é no sentido de carrancudo. Mas de responsável e sem falsa modéstia, eu sei que faço bem o que me proponho a fazer. Como postei antes, não paro nunca de estudar, de me aprofundar. Quando eu achar que estou pronto, eu desencarno e vou trabalhar em esferas superiores. Por enquanto é aqui mesmo no povão, na baixaria. (risos)...

Din Akari Kei diz:
(risos) \o/
As entidades amigas tuas, como elas vem essas regrinhas que foram criadas aqui na Terra pra manter as pessoas em conflito? Me refiro a temas tabu como prostituição, aborto, homossexualidade. Esses tabus tem algum "valor" a nível espiritual? Isso por acaso está ligado a "evolução espiritual, moral e ética" ou é mesmo tuuudo bobagem?

Wladimir de Oyá diz:
A entidade que mais trabalha comigo, foi uma cafetina quando encarnada. E é uma grande professora. Trabalho com ela desde os meus oito anos de idade. Estou com trinta e oito. E há clientes que estão com ela desde 1992, quando ela começou a dar consultas e a atender as pessoas sem parar.
Essas regras hipócritas criadas pelo homem não existem nos planos mais evoluídos.
Já a questão do aborto, é diferente.

Din Akari Kei diz:
Qual é o nome dela? Posso colocar uma foto dela aqui?

Wladimir de Oyá diz:
Sim, claro. Possuo um quadro que foi feito por mim através de pintura mediúnica e depois um pintor foi dando mais detalhes com ela dando as dicas. O nome dela no meio religioso é Maria Padilha, mas seu verdadeiro nome é Rosa Maria. Uma ancestral minha por parte de mãe.

Din Akari Kei diz:
Legal, depois tu me passas a imagem dela, por favor.

Wladimir de Oyá diz:


















Din Akari Kei diz:
Bonita demais a Padilha, eiitaa!
Por que a questão do aborto é diferente?

Wladimir de Oyá diz:
Por ser um crime. E quem possui a capacidade de sair do corpo com lucidez, pode ver o que acontece com o corpo astral de um abortado. Sem contar que o embrião ou feto já sente tudo no útero. Sendo assim, medo, rejeição, ódio, tudo isso pode se somar e gerar um ser totalmente revoltado.

Din Akari Kei diz:
Hummm....

Wladimir de Oyá diz:
Há muitos casos de obsessão por espíritos abortados.
Querendo vingança devido à rejeição.

Din Akari Kei diz:
Entendi. Triste isso.
Mas a mãe não tem o direito de permitir ou não que alguém cresça dentro do seu corpo?

Wladimir de Oyá diz:
Como orixá é VIDA, eu sendo sacerdote, sou totalmente contra. Ainda mais conhecendo as possíveis consequências.

Wladimir de Oyá diz:
E por que ela não pensa ANTES? Por que não toma remédio, não usa camisinha, saco plástico, sei lá que diabos ela pode fazer para evitar um futuro assassinato. Você já viu a filmagem de um aborto? É comovente, triste ver como o feto foge do aparelho que entra para triturar seu corpo.

Din Akari Kei diz:
Não vi :|
As entidades associadas a ti sabem dessa coisa toda de conspiração em vários níveis da Terra ou não?

Wladimir de Oyá diz:
Sim, sem dúvida.
Aqui vai um filme mostrando um aborto:http://www.youtube.com/watch?v=I-RDvr38sRY

Din Akari Kei diz:
Ok, vou deixar o link do filme para quem quiser ver.

Wladimir de Oyá diz:
Para quem quiser assistir, eu recomendo.
Elas não só sabem, como explicam bem sobre o assunto.
E o quanto o ser humano dorme para tal realidade.

Din Akari Kei diz:
Perfeito. Então elas estão do nosso lado.

Wladimir de Oyá diz:
(risos)... Com toda certeza.

Din Akari Kei diz:
Vou aproveitar que o assunto é sobre as entidades e comentar sobre algo que acho que tu também sabes que acontece.
Algumas pessoas adeptas de Ashtar Sheran, Federação Galática, Mestres Ascencionados e entidades do tipo vão fazer o salto e saem dizendo que o Bruno é uma entidade maligna, ou que tem seres trevosos trabalhando com ele...
Agora me fala, tu que é paranormal desde pequeno, trabalha com essas entidades há muito tempo, por que acha que essas pessoas dizem essas coisas?

Wladimir de Oyá diz:
Desde minha adolescência, já existe de forma bem forte esse modismo New Age / Nova Era. E o que vejo são pessoas sem o menor conhecimento de causa. Se acham muito, viajam com assuntos românticos, mas no fundo mesmo, um bando de perdidos. Eu posso falar, pois atendo pessoas desses movimentos e que são alcoólatras, viciados em drogas, calmantes. Vivem numa depressão horrível e só usam estas "máscaras" para fugir do contato com elas mesmas.

Din Akari Kei diz:
Pow! Matou a pau! Fala mais! (riso)

Wladimir de Oyá diz:
Não é questão de crítica. Pelo contrário. É questão de mostrar o quanto estão alienadas e quando chegam perto de saber da verdade, são atrapalhadas por entes trevosos e por elas mesmas, pois possuem muita resistência e uma neofobia (medo do novo) terríveis.
Você quer ver uma coisa?

Din Akari Kei diz:
Quero, manda mestre.

Wladimir de Oyá diz:
A moda agora é APOMETRIA. Um trabalho que eu conheço e respeito quando feito com seriedade, o que é raro. Não raro pela boa vontade dos praticantes. Mas vejo pessoas sendo verdadeiros bonecos nas mãos de seres muuuuuuuuuuuito inteligentes, que debocham deles de uma forma absurda.

Din Akari Kei diz:
Aham...

Wladimir de Oyá diz:
Como você acha que uma pessoa faz um cursinho e em dias ela detona com um mago negro, conhecedor de alta magia?

Din Akari Kei diz:
Aham...

Wladimir de Oyá diz:
Como destroem laboratórios e tudo mais, com seres que estão ali e que dominam as energias de uma forma admirável? Mesmo que para o mal, não posso deixar de dizer que é admirável.

Din Akari Kei diz:
São geniais, realmente.

Wladimir de Oyá diz:
Enquanto vemos o Espiritismo mostrando espíritos usando aparelhos, aerobus, eles não usam NADA, além da mente. Pensam e BOOM!!! Realizam.
Então para que eu me iniciei tanto, estudei e estudo tanto? Putz. Um cursinho deste resolveria todo meu problema ao enfrentar tais seres.

Din Akari Kei diz:
A realidade é que as pessoas estão sendo kamikazes sem saber. Entram em qualquer meio espiritualista/religioso e não sabem com o que estão mexendo em determinadas práticas.

Wladimir de Oyá diz:
Eu conto é com a ajuda de seres do bem e que também possuem total domínio mental e energético. O que chamamos de deuses.

Din Akari Kei diz:
É pra esse caminho que quero seguir, e acho que a maioria das pessoas que lê o meu site. Temos todos que nos tornar deuses despertando a nossa genialidade divina.
Agora, um tema que também é polêmico e que tu já deves estar de saco cheio de falar sobre isso (risos) é a questão financeira.

Wladimir de Oyá diz:
Sim.

Din Akari Kei diz:
Qual a diferença do teu trabalho para o trabalho de outras pessoas, acho que posso chamá-los de pais-de-santo que não cobram por seus trabalhos... enfim... que implicações tem em se cobrar por trabalhos espirituais?

Wladimir de Oyá diz:
Nós estamos encarnados. Eu não teria o conhecimento que tenho, não teria passado pelas iniciações que passei sem dinheiro. É uma energia fundamental em nossas vidas. Pobreza não é bonita e nem espiritual. É feia e triste.
Estas pessoas sofrem influência cristã onde a pobreza é louvada como algo lindo e maravilhoso. Mas os sacerdotes são a maior prova dessa imundície. Desde o ouro dos católicos aos patrimônios dos evangélicos que todos sabem.
O rico não vai para o reino do céu. Que ótimo. Se eu acreditasse em inferno, minha cadeira já estaria comprada lá me esperando.

Din Akari Kei diz:
(muitos risos)
É possível se desenvolver espiritualmente, fazer um trabalho sério sem cobrar o preço justo por isso? Por quê?

Wladimir de Oyá diz:
“Sem caridade não há salvação”. Eu acho um tanto ridículo o Espiritismo repetir esta frase. Afinal, como reencarnacionistas, não combina esta crença em SALVAÇÃO. Isto está mais para quem crê no juízo final.
Seguindo a tradição dos orixás, nós aprendemos que o dinheiro faz parte da magia. É o meio de troca entre o sacerdote e seu iniciado ou consulente. Para um sacerdote manter seus altares, seus centros de energia em dia, bem alimentados, muito dinheiro é gasto.
Eu digo sacerdotes de verdade. Não essa loucura por aí disfarçada.

Din Akari Kei diz:
Isso sem falar no reinvestimento que um bom profissional faz em mais cursos, iniciações, livros... enfim. É um trabalho como qualquer outro. Mas... não adianta, muita gente reluta em mendigar, chorar e dizer que cobrar é errado e cobrar tal valor então...vixe! "Como eles são abusados!" e blá blá blá

Wladimir de Oyá diz:
Preparar um pó com elementos certos requer além de muito estudo e conhecimento, toda uma alquimia. Não é comprar gesso ralado como pó verdadeiro. E os materiais são caros. Dá trabalho em preparar. São dias e dias de trabalho do sacerdote e as pessoas que ignoram isto, acham que é fácil. Viramos noites acordados, pois há energias diurnas, noturnas, horas certas para lidar com determinadas energias e por aí vai.

Din Akari Kei diz:
Com certeza, e é por essa seriedade toda que o teu trabalho é tão procurado e reconhecido. Podes falar do perfil de alguns dos teus clientes. Acho que tem até políticos que te procuram, estou certo?

Wladimir de Oyá diz:
Muitos. Políticos, artistas. Atendo muitos famosos que não se importam em aparecer e até gostam. E outros que me pedem sigilo absoluto e como um profissional, é óbvio que os respeito.

Din Akari Kei diz:
Exatamente. Respeito sempre. Aliás, já vi terapeutas holísticos desses mais populares de centros espiritualistas, realmente alienados, que não dão a menor importância pro sigilo do cliente. Já vi de tudo.
Eu fico com receio de qual é o jeito certo de definir o trabalho que tu faz, tenho medo de usar o termo errado... é feitiço, magia, bruxaria? Não sei...

Wladimir de Oyá diz:
Para você ter uma ideia, possuo clientes de fora que nunca me viram pessoalmente. Me conheceram quando eu tinha site. Fazem os trabalhos de magia de longe, me pagam, me agradecem, pois estão vendo os resultados e no entanto, jamais viram minha cara de perto.
Clientes de sete, oito anos. Se continuam, é porque a coisa está funcionando.
Magia é sinônimo de sabedoria. Todo mago é um sábio devido os estudos que precisa obter. Eu gosto do termo bruxaria. Embora tenha ficado com a conotação de algo maligno, eu gosto. (risos)

Din Akari Kei diz:
Pois é por causa dessa conotação é que eu fico confuso. “Como vou tratar o trabalho do Wladimir sem ser ofensivo?” (risos)

Wladimir de Oyá diz:
(muitos risos!)... Mas a maldade está na cabeça das pessoas devido a ignorância. Só isso. De forma alguma eu me ofendo se me chamar de sacerdote, de bruxo.
Ou Lord Wladmort. (muitos risos!)...

Din Akari Kei diz:
(risos)

Wladimir de Oyá diz:
O mesmo se dá com o Vodu.
Quando se toca em Vodu, todos pensam em bonequinhos espetados para fazer o mal. No entanto, desconhecem que é uma religião africana onde se estuda muito de fitoterapia, por exemplo, para cura. Só com ervas.
Como eu digo sempre. O problema está na ignorância.
Há técnicas Vodu de desobsessão imediata. Sem ter que esperar passes, evangelização etc.

Din Akari Kei diz:
Já faz duas horas que estamos conversando. O bom é que respondeu muito bem, com boa colocação, sem economizar palavras tudo o que eu perguntei.
Queria te perguntar que dica tu darias pras pessoas que eventualmente se comunicam com alguma entidade, de como distinguir uma entidade sensata, benevolente de uma enganadora? Por que tem muita gente por aí, principalmente no campo new age que se comunica com essas entidades e sai com a cabeça cheia de caraminholas por aí.

Din Akari Kei diz:
Já faz duas horas que estamos conversando. O bom é que respondeu muito bem, com boa colocação, sem economizar palavras tudo o que eu perguntei.

Wladimir de Oyá diz:
Por hoje é só? (riso)...

Din Akari Kei diz:
(riso)
Acho que sim. Tem mais alguma coisa que tu gostarias de deixar pro pessoal?
Tipo, teus dados pra contato por que as pessoas vão querer comprar tua bruxaria agora!
Meu site é bombástico! (risos)

Wladimir de Oyá diz:
Que deixem seus preconceitos de lado para que tenham suas mentes abertas. Sem isso, não há condições de mudanças. E que vivam! Mesmo sabendo que a Terra está cheia de loucura, também é um lugar lindo, onde podemos ser felizes, sim. E estamos evoluindo é aqui. Não em Andrômeda. Então vivamos com pés no chão. É isso. Abração.

Din Akari Kei diz:
(risos)
Legal!
Obrigadããããaoooo
Abraçoooo

"O dia em que a ciência começar a estudar os fenômenos não-físicos, ela irá fazer mais progresso numa década do que fez em todos os séculos anteriores de sua existência." -Nikola Tesla 

Sobre o Autor

Escreva a descrição de administração aqui ..

© 2013 Fator Quântico. WP Theme-junkie converted by BloggerTheme9